Proibidas de usar saias curtas e decotes!

As funcionárias da Loja do Cidadão de Faro foram proibidas de usar saias curtas, decotes, saltos altos, roupa interior escura, gangas e perfumes agressivos. O Correio da Manhã noticia hoje que as instruções foram dadas numa acção de formação antes da abertura da loja, a 3 de Abril, denunciou uma funcionária.

De acordo com o jornal, as instruções foram apresentadas durante uma acção de formação promovida pela Agência de Modernização Administrativa.

“Esta acção incide sobre várias matérias e, em particular, sobre o que deve constituir um atendimento de qualidade, que ajuda ou prejudica o relacionamento com os cidadãos”, justificou Maria Pulquéria Lúcio, vogal do Conselho Directivo da agência, ao jornal diário.

Pulquéria Lúcio confirmou a proibição do uso de decotes exagerados, perfumes agressivos e gangas, mas negou a referência a saltos altos e a roupa interior escura. Destak

Realmente a liberdade em alguns sítios foi um bocado condicionada…

4 Comments on Proibidas de usar saias curtas e decotes!

  1. Caro Tiago,

    Não percebi o significado da frase “Realmente a liberdade em alguns sítios foi um bocado condicionada…”
    Entende o Tiago que não devia haver regras? Porque razão?
    Eu entendo que devem haver regras, como existem em bancos, hipermercados, farmácias e até nos colégios privados.

    Acha que uma funcionária da LC deve atender pessoas com decotes enormes ou mini-saias mesmo mini? Não acha que seria mais grave definir o que é um decote correcto ou o que é uma mini-saia, do que simplesmente proibir o seu uso?

    Só porque é estado, não pode ter regras?

  2. @ Nuno Costa,
    Acho que as pessoas se devem vestir com normalidade e claro com roupa adaptada às diversas situações.

    Mas hoje em dia é tão banal ver um salto alto numa mulher ou até uma camisola mais decotada que se torna “estúpido” condicionar esta normalidade.

  3. Tiago, não é nada estúpido.
    O facto de ser banal ver mulher com salto alto ou decote não pode impedir de criar regras de vestuário para um serviço público.
    A sua afirmação “Acho que as pessoas se devem vestir com normalidade e claro com roupa adaptada às diversas situações.” justifica a existência de regras. Quem decide se a roupa é adequada ou não à situação de atendimento numa LC? As regras, não? Eu deixa-se a decisão a cada funcionário?
    Liberdade não é igual a falta de regras!

  4. epá, eu gosto muito mais se ser atendido por uma boazona com um grande par de mamas e com um decote enorme. acreditem que se sai de lá muito melhor, mesmo quando se vai pagar alguma coisa.

    então nos bancos…era o ideal para eles meterem o pessoal a assinar o que quer que seja sem ler.

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*