Os (des)Ajustes Directos e o Portal da Transparência na A.P.

… ou melhor, para onde vai o dinheiro dos nossos impostos!

O “ajuste directo” é o rótulo atribuído pelo actual (des)Governo a um método que permite que as autarquias adjudiquem projectos (compras, obras, etc…) sem concurso público.
Assim, para aumentar a transparência foi criado um portal onde, supostamente, deveria aparecer (?) facilmente todos os projectos atribuídos/adjudicados, assim como as verbas envolvidas. Porém, como se veio a verificar ser difícil a pesquisa, sem dados específicos, foi criado um motor de busca pela ANSOL que é o transparência-pt, visando facilitar a consulta da roubalheira que todos somos vitimas.

A intenção da ANSOL foi, em primeiro lugar, denunciar os contratos entre a Administração Pública e a Microsoft ,  contudo, muito mais se veio a revelar, para além dos 14 e muitos milhões de euros em licenças pagas à Micro$oft.

Em suma, pesquisem por chaves como Vinho, viaturas, Formação, Obras e outras coisas do género, fundamentais ao correcto (?) funcionamento de uma autarquia e acharão umas boas pérolas, ou seja… a realidade da crise em Portugal!!!

Exemplos:
AQUISIÇÃO DE VIATURA DE 16 LUGARES PARA TRANSPORTE DE CRIANÇAS pelo Município de Vale de Cambra, no valor de 2.922.000,00 €;

AQUISIÇÃO DE VIATURA LIGEIRO DE MERCADORIAS, pelo Município de Vale de Cambra, no valor de 1.236.000,00 €;

Fornecimento de 1 fotocopiadora, “Multifuncional do tipo IRC3080I”, para a Divisão de Obras Municipais, pelo Município de Beja, no valor de 6.572.983,00 €;
A versão base desta impressora custa menos de 3.000 € (2.800 £)!

Via: Apdeites e não só!

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*