Novo dicionário para Acordo Ortográfico

Um dicionário duplo, com as palavras escritas com a grafia actual e segundo o novo Acordo Ortográfico, foi esta a solução encontrada pela Porto Editora para o seu Dicionário Editora da Língua Portuguesa 2009 – Acordo Ortográfico, que deverá chegar às livrarias nos próximos dias.

“É uma opção editorial coerente com o que tem sido a nossa posição” em relação ao Acordo Ortográfico, explica Paulo Gonçalves, porta-voz da editora. No debate sobre o acordo, a Porto Editora tem manifestado uma posição crítica, considerando que este representa uma má estratégia para a língua portuguesa.

Mas, sublinha Paulo Gonçalves, “já tínhamos este material mais do que pronto, e estávamos a ser contactados pelos nossos utilizadores” que queriam saber se iria sair um dicionário com a nova grafia. Como a editora já tinha previsto o lançamento de um novo dicionário este ano – até porque “há um sem-número de palavras novas”, de audiolivro a carjacking – era preciso tomar uma decisão. Este é um dicionário que “vai manter-se actualizado, seja qual for a decisão que vier a ser tomada sobre o Acordo Ortográfico”, explica. Poderá também ser exportado para os mercados africanos.

Assim, quem procurar, por exemplo, a palavra Egipto, vai encontrá-la escrita desta forma, numa entrada que remete também para a forma prevista pelo Acordo Ortográfico, ou seja, Egito. Ao mesmo tempo, a Porto Editora lança o Guia Prático do Acordo Ortográfico (vendido separadamente) para esclarecer as mudanças ligadas à nova grafia – à semelhança, aliás, do que já tinha sido feito pela Texto Editores, que lançou recentemente o seu novo dicionário conforme ao Acordo Ortográfico (em duas versões, uma maior outra menor), acompanhado por um guia prático.

Entretanto, o poeta, tradutor e eurodeputado Vasco Graça Moura, um dos mais activos opositores desta reforma da grafia, lança o livro Acordo Ortográfico – A Perspectiva do Desastre, que reúne as suas principais intervenções sobre o tema. O Acordo será discutido e votado pelo Parlamento no dia 15.

Fonte: Jornal Público

DownloadDownload Pdf: Guia de Utilização

7 Comments on Novo dicionário para Acordo Ortográfico

  1. é o acordo mais estupido de sempre!! vamos parecer uns brasileiros agora, as palavras vao perder o sentido e só os burros k tao sempre a dar erros é k vao acertar… enfim… governo de m****.

  2. Onde é que já se viu o povo colonizador a ser dominado pelas colónias?
    E Tiago, isso de só os burros acertarem e tal… vamos ter 6anos +/- para nos “regularizarmos” quanto há situação de darmos erros e isso (assim uma coisa…)

  3. Tiago:

    Não se preocupe. Mesmo sem acordo, você dá erros que se farta.

    Simão:

    Quanto há situação? Por amor de Deus, homem…

  4. É “desmasiado” o que por aqui se lê….desde k transformado em “que” até tão=estão, para já não falar no calão usado….ENFIM…….

  5. Por que eu entendi os colegas acima são contrários pero fato de que as pronuncias seguem pela escrita brasileira, isso e valido embora um preconceito nacionalista, não sei os critérios usado para as alterações das escritas e pronuncias, se tiver sido feita para fortalecimento global acho valido! Pois com as diversas colônias da língua portuguesa, ela não ser tão reconhecida mundialmente com a inglesa e a espanhola e humilhante e desmerece a Soberania de Portugal Então a meu ver, independente dos critérios usado e muito valido para “Portugal” uma unificação da língua e escrita portuguesa! †Lykkan† do Brasil… !

  6. 😥 Eles não tem o que inventar, então criam novas modas ou escritas iguais a outras, para estar dentro da roda ou do eixo do modernismo ambulante, que assola até o nosso Brasil, Adeus Manoel Bandeira, Adeus Carlos Drummont, Adeus escrita Perfeita…
    QUE PAIS É ESSE?

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*