Pirataria da própria obra!

Paulo Coelho faz pirataria dos próprios livros. O autor de “O Alquimista” acredita que a pirataria ajuda a vender livros, tendo criado um site chamado “Pirate Coelho”, onde coloca links para cópias gratuitas dos seus livros em redes de partilhas de ficheiros.

Para ilustrar a sua convicção de que disponibilizar os livros gratuitamente em redes de partilha tem um resultado positivo nas vendas, Paulo Coelho explicou na conferência “Digital, Life, Design” em Munique que, após colocar a tradução russa de “O Alquimista” nas redes peer-2-peer, as vendas na Rússia dispararam de cerca 1.000 cópias por ano para as 100.000, até chegarem a mais de um milhão.

«Em 2001, vendi 10.000 cópias de capa dura. E toda a gente ficou intrigada. Viemos do zero para 1.000, para 10.000. E então, no ano seguinte, ultrapassámos os 100.000. […] Pensei que isto é fantástico. Dar ao leitor a possibilidade de ler o nosso livro e escolher se o quer comprar ou não. […] Então fui ao BitTorrent buscar todas as edições piratas dos meu livros… E criei um site chamado Pirate Coelho».

O escritor brasileiro, que criou o site “Pirate Coelho” porque as editoras não foram muito receptivas à ideia de oferecer cópias gratuitas dos livros na Internet, não tem dúvidas:

«Acreditem ou não, as vendas de livros aumentaram imenso devido ao site Pirate Coelho».

fonte1.pngFonte: Ciberia
homepageHomepage: Pirate Coelho

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*